Declaração dos Adventistas do Sétimo Dia sobre os Jogos de Azar

O jogo de azar afeta cada vez mais e mais pessoas ao redor do mundo. O conceito de ganhar à custa dos outros tem se tornado uma espécie de maldição moderna. Os adventistas do sétimo dia se opõem grandemente a este tipo de jogo, uma vez que este é incompatível com os princípios cristãos. Não é uma forma apropriada de lazer ou um meio legítimo de se ganhar dinheiro.

O jogo de azar viola os princípios cristãos de mordomia. Deus identifica o trabalho como o meio apropriado para adquirir benefícios materiais; o jogo de azar nos faz sonhar com o ganho à custa da perda de outrem. O jogo de azar tem um grande impacto sobre a sociedade. Os custos financeiros resultam de crimes cometidos para saldar uma dívida de jogo, aumento do policiamento e despesas legais, bem como crimes envolvendo drogas e prostituição. O jogo de azar não gera renda, antes, toma daqueles que não têm condições e dá a uma minoria vencedora A ideia de que o jogo pode ter um benefício econômico positivo é ilusão. Além disso, jogar viola o senso de responsabilidade cristã pela família, vizinhos, pelos pobres e pela Igreja.[1]

Jogar cria falsas esperanças. O sonho de ganhar muito dinheiro substitui a verdadeira esperança por um sonho falso de uma chance estatisticamente improvável de vencer. Os cristãos não devem colocar suas esperanças em riquezas. A esperança cristã de um glorioso futuro prometido por Deus é certa – diferente e oposta ao sonho do jogador. O grande lucro que a Bíblia nos aponta é “piedade com o contentamento”.[2]

O jogo é um vício. Isto é claramente incompatível com o modo de vida cristão. A Igreja procura ajudar, não culpar aqueles que sofrem pelo vício do jogo ou outros. Os cristãos reconhecem que são responsáveis perante Deus pelos seus recursos e estilo de vida.[3]

A organização da Igreja dos adventistas do sétimo dia não aceita rifas ou loterias para arrecadar fundos e insta os membros a não participarem em tais atividades, mesmo que bem intencionadas.  A Igreja Adventista do Sétimo dia pede a todas as autoridades que previnam a crescente disponibilidade dos jogos com seus efeitos prejudiciais para os indivíduos e para a sociedade.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia rejeita jogos de azar e não solicitará nem aceitará fundos que sejam claramente provenientes deles.


Esta declaração foi votada pela Comissão Administrativa da Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia (ADCOM), para divulgação na sessão da Conferência Geral em Toronto, Canadá de 29 de junho a 9 de julho de 2000.


[1] I Tes. 4:11; Gên. 3:19; Mat. 19:21; Atos 9:36; II Cor. 9:8,9

[2] I Tim. 6:17; Heb. 11:1; I Tim. 6:6

[3] I Cor. 6:19,20