Princípios Operacionais para Instituições de Saúde

Princípios

1) Cristo ministrou à pessoa como um todo.  Seguindo Seu exemplo, a missão da Igreja Adventista do Sétimo Dia inclui um ministério de cura ao ser humano como um todo – corpo, mente e espírito.  O ministério da cura inclui cuidado e compaixão pelos enfermos e sofredores. Também inclui a preservação  da saúde. O ensino dos benefícios do cumprimento das leis de saúde, o inter-relacionamento das leis naturais e espirituais, a responsabilidade do homem perante essas leis e a graça de Cristo, que assegura o viver vitorioso estão integrados no ministério da cura.

2) As instituições de saúde (hospitais, clínicas médico-dentárias, sanatórios e retiros, centros de reabilitação, etc.) funcionam como uma parte integral do ministério total da Igreja e seguem as normas da mesma.  Isso inclui a manutenção da santidade do sábado promovendo uma atmosfera sabática para os funcionários e pacientes, evitando atividades de rotina, diagnósticos facultativos e terapias opcionais no sábado.  Essas normas também incluem o incentivo de uma dieta ovo-lacto-vegetariana isenta de estimulantes e álcool e um ambiente livre da fumaça do cigarro.  O controle do apetite será promovido, o uso de drogas com um potencial para o abuso será controlado, e não serão permitidas  técnicas que envolvam o controle de uma mente por outra.  As instituições são dirigidas como parte da Igreja com atividades e práticas claramente definidas como o testemunho cristão típico dos Adventistas do Sétimo Dia.

3) As instituições adventistas de saúde conferem alta prioridade à dignidade pessoal e às relações humanas. Isso acontece por estarmos em harmonia com a reafirmação da dignidade humana por Cristo e Sua demonstração de amor, que perdoa e se preocupa, apesar do passado, e mantém o direito de escolha individual no futuro.  O resultado é diagnose e tratamento apropriados por pessoal competente; um ambiente seguro e solícito que contribua para a cura da mente, corpo e espírito; e educação nos hábitos saudáveis de vida. Também envolve cuidado de acordo com a vontade do paciente terminal e família.

4) Os planos de ação e maneiras de proceder do médico devem sempre refletir uma alta consideração e preocupação pelo valor da vida humana bem como da dignidade individual.

5) As instituições adventistas de saúde operam como uma parte da comunidade e nação em que funcionam. Representando o amor de Cristo a essas comunidades, a preocupação de cada instituição é a saúde da comunidade e da nação. As leis do país devem ser respeitadas e os regulamentos para o funcionamento das instituições e licença dos funcionários devem ser seguidos.

6) As instituições recebem bem aos clérigos de todas as confissões religiosas que visitam seus paroquianos.

7) A missão das instituições em representar Cristo à comunidade, e principalmente àqueles que utilizam seus serviços, é cumprida através de um quadro de funcionários compassivos e competentes que defendem as normas e práticas da Igreja Adventista do Sétimo Dia.  A fim de desenvolver o quadro de funcionários as instituições programam regularmente aulas que os ajudam a se manter atualizados profissionalmente, crescendo no conhecimento e em particular no amor de Deus.  O planejamento a longo prazo dos funcionários apóia a educação formal dos funcionários em perspectiva, inclusive a utilização de uma instituição para a prática clínica dos estudantes.

8) As instituições devem funcionar de uma maneira financeiramente responsável e em harmonia com o Livro de Praxes da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

9) A prevenção básica e a educação sanitária serão uma parte integrante da ênfase sobre saúde das instituições de saúde.

10) A administração e o funcionamento das instituições individuais de saúde serão dirigidos em consulta com o Departamento de Saúde e Temperança de maneira regular e contínua.  A comunicação incluirá os departamentos de Saúde e Temperança da Missão/Associação, União, Divisão e Associação Geral à medida que as circunstâncias e ocasião surjam.

Estabelecimento e Fechamento de Instituições de Saúde

1) Ao considerar-se a abertura de uma nova instituição, a construção de um grande anexo ou a avaliação da continuidade de funcionamento de uma instituição existente, deve-se observar:

a. Os planos de vasto alcance da Igreja naquela área e se a instituição auxilia a missão da Igreja.

b. As necessidades de assistência à saúde da área.

c. Os recursos disponíveis, principalmente finanças, pessoal e equipamento, para fazer funcionar a instituição.

d. Os regulamentos do governo para o funcionamento da instituição.

e. Os regulamentos do governo para o fechamento de uma instituição.

f. O impacto que a abertura ou o fechamento da instituição exercerá sobre a Igreja na área e sobre a comunidade em geral.

g. As necessidades educacionais da Igreja.


Esta declaração foi liberada pela Comissão Executiva da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia na sessão do Concílio Anual em Nairóbi, Quênia, em outubro de 1988.