Como devemos comemorar os aniversários e outras datas especiais?

Daniel Oscar Plenc

As escrituras registram duas celebrações de aniversários, a do Faraó (Gen. 40:20), e a de Herodes Antipas (Mat. 14:6 e Marcos 6:21). Em tempos bíblicos, os cidadãos Gregos, Romanos e Persas comemoravam festas de aniversário, mas não os Judeus. (Dicionário Biblico-Adventista do Sétimo Dia, p. 287).

Ellen White mostra preocupação com festas que alimentam o egoísmo, a gratificação própria e a mundanidade. Ela via as datas de aniversário como dias para cultivar a gratidão e dar louvor a Deus como o Criador e Preservador da vida, propondo que os aniversários são uma ocasião para presentear à Deus com alguma oferta especial. Os pais não têm ensinado aos seus filhos os preceitos da lei como Deus os mandou. Tem os educado de forma egoísta. Tem os ensinado a considerar o seu aniversário e os seus dias de festa como ocasiões na qual eles devem esperar presentes e a seguir os habitos costumeiros do mundo. Estas ocasiões, que deveriam servir para aumentar neles o conhecimento a respeito de Deus e despertar a gratidão do coração deles pela misericórdia e o amor do Senhor ao preservar as suas vidas por mais um ano, tem sido convertidas em ocasiões para agradar a si mesmo, para a gratificação própria das crianças. Eles têm sido guardados pelo poder de Deus por todos os momentos de suas vidas e, contudo, os pais ainda não ensinam os seus filhos a pensarem nisto, e a expressar as suas gratidões pela graça deu Deus para com eles. Se as crianças e jovens tivessem sido devidamente instruídos sobre a honra, o louvor e a ação de graças, então assim tudo isso fluiria de seus lábios direcionando suas palavras a Deus! Que maravilha seria uma coleção de pequenos presentes que teria sido oferecida pelas mãos dos pequeninos para serem colocadas na tesouraria como oferta de gratidão! Deus seria lembrado ao invés de ser esquecido. (Review and Herald, 13 de Novembro de 1894) (Conselhos Sobre a Escola Sabatina, 59 – 160).

Um aniversário é um bom momento para se pensar em Deus e honrar o Seu nome por causa da Sua bondade e cuidado. De acordo com o sistema religioso judaico, quando nascia um menino, era feito uma oferta a Deus, pela própria ordem do Senhor. Agora vemos os pais se afligirem especialmente na hora de presentear os seus filhos nos aniversários. Fazem desta uma ocasião para honrarem os filhos, como se o ser humano fosse digno de honra. Satanás tem conseguido com que seu desejo seja realizado, ele tem desviado as mentes de Deus, assim os pensamentos das crianças são dirigidos a eles mesmos. Aquilo que deveria voltar à Deus em forma de oferta para ajudar os necessitados e levar a luz da verdade ao mundo, foi desviado de seu devido curso fazendo mais mal que bem, estimulando a vaidade o orgulho e a importância própria. Nos aniversários se deve ensinar as crianças que elas tem razões para manifestar gratidão a Deus pela Sua amorosa bondade ao preservar suas vidas por mais um ano. Assim podem-se aprender valiosas lições. Pela vida, pela saúde, pelo alimento, pela vestimenta, e principalmente pela esperança da vida eterna. Temos duvidado do Doador de todas as misericórdias, e Deus merece que reconheçamos os Seus presentes em nossas vidas e que demos à Ele as nossas ofertas de gratidão, pois Ele é o nosso maior benfeitor. Estas ofertas de agradecimento são reconhecidas no céu. (Review and Herald, 9 de Dezembro de 1890) (Conselhos Sobre a Escola Sabatina, pp. 160 – 161).

Nossos aniversários, assim como Natais e outros dias festivos, são dedicados a coisas egoístas, quando a mente deve ser dirigida à misericórdia e a amorosa bondade de Deus. O Senhor não se agrada quando a Sua bondade, seu constante cuidado e Seu crescente amor não são reconhecidos nos aniversários. (Review and Herald, 9 de Dezembro de 1890) (Conselho Sobre a Escola Sabatina, pp. 161 – 162).


PDF: Como devemos comemorar os aniversários e outras datas especiais?