Mensagem do Presidente

Estamos dispostos? – Um reavivamanto à piedade primitiva é nossa mais urgente necessidade

Ted Wilson

Uma das maiores perguntas que enfrenta a Igreja Adventista hoje é: estamos dispostos a sairmos de nossa zona de conforto e comodidade para permitir que Deus faça o que é necessário para preparar a cada um de nós através de um verdadeiro reavivamento pessoal e corporativo, para uma mudança ou reforma em nossas vidas e assim sermos mais semelhantes a Jesus e recebermos a chuva Serôdia?

Tudo isso só pode ocorrer através do poder do Espírito Santo. A resposta para esta questão é sua escolha e minha. Como todos sabemos, Deus não nos obriga a cumprir seus desejos. Ele convida, incentiva, e insiste conosco para respondermos aos seus conselhos e desejos. Nos últimos meses o chamado para reavivamento e reforma tem chegado para a igreja em todo o mundo através de nossos líderes. Qual tem sido sua reação?

Há mais de 100 anos, Ellen G White, a serva do Senhor, disse, “Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação” (RH, 22 de março, 1887).

Ainda é nossa maior necessidade, e ainda deve ser nossa primeira ocupação, pois Jesus não veio. Como estamos fazendo aquilo que deveria ser nosso primeira ocupação e compreendendo a nossa maior necessidade? O modelo da igreja apostólica, como se prepararam para o Pentecostes nos ajuda hoje.

Antes de subir ao céu, Jesus disse aos seus discípulos que eles receberiam poder para cumprir a missão que lhes tinha dado. Em Lucas 24:49 (NVI) Ele disse: “Agora eu vos enviarei o que meu Pai prometeu, mas permaneçam na cidade até que sejais revestidos do poder do alto”.

Estas palavras são reforçadas em Atos 1:5,8 (NVI), “Pois João batizou com água, mas dentro de poucos dias vocês serão batizados com o Espírito Santo. Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”

Jesus disse aos seus discípulos para voltarem para Jerusalém e esperar pelo poder que viria do pai.

O período de espera foi de cerca de 10 dias, mas eles não colocaram os pés sobre a mesa para esperar de forma ociosa. Foi, sim, um tempo de intensa preparação. Lucas nos dá uma visão ligeira daquilo que foi feito: ” Todos eles se reuniam sempre em oração, com as mulheres, inclusive Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos de Jesus. ” (Atos 1:14 (NVI). Ele faz essa observação adicional: ” Chegando o dia de Pentecoste, estavam todos reunidos num só lugar.”(Atos 02:01 NVI).

Ellen White vai além e explica esta experiência de forma mais completa: “Foi pela confissão e pelo abandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da entrega pessoal a Deus, que os discípulos se prepararam para o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecoste. O mesmo trabalho, apenas em grau mais elevado, deve ser feito agora.” (TM, p. 507)

Temos as ordens, Deus está esperando para derramar seu Espírito Santo sobre seu povo remanescentes que lhe dará poder para terminar a obra de pregar as três mensagens angélicas. A obra feita pelos discípulos deve ser feita por nós, só que em maior grau. Não podemos receber este poder a menos que estejamos dispostos a sair de nossa zona de conforto e permitir ao Espírito fazer o trabalho dentro de nós que nos colocará em uma posição para receber o poder. Que trabalho temos que fazer? Confissão, é-nos dito, pedir perdão pelos pecados, fervorosa oração e consagração a Deus.

Ainda devemos responder a pergunta, estamos dispostos a sair da nossa zona de conforto e confessar e abandonar nosso pecados, orar com fervor por nos mesmos e com nossos irmãos e irmãs pelo poder prometido, e consagra-nos a nós mesmos a Deus e a Ele somente? Só você e eu podemos responder essa pergunta de forma pessoal.

Em mensagens posteriores insistiremos mais sobre a experiência dos discípulos quando se preparavam para o Dia de Pentecostes. Lucas nos diz que eles se reuniam para orar. Mas o que mais fizeram? É uma chave para sabermos por que Deus quer que insistamos com Ele por reavivamento e reforma, e, a chuva serôdia do Espírito Santo, em antecipação da vinda iminente de Cristo.

Ted N. C. Wilson

Presidente Mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia.


Artigo original em: http://www.revivalandreformation.org