Declaração sobre Fumo e Tabaco

Por mais de um século, a Igreja Adventista do Sétimo Dia tem advertido sua juventude e o público em geral sobre a natureza do fumo, viciadora e destruidora da saúde.

O fumo de cigarros é a maior causa evitável de mortes no mundo. Um dos firmes conceitos éticos da maioria, se não de todas as sociedades, é que prevenir é melhor do que remediar. No que se refere ao fumo, muitos países estão se defrontando com um paradoxo ético: embora muitas décadas de pesquisa tenham provido incontestável evidência dos riscos do cigarro, a indústria do fumo ainda floresce, frequentemente com apoio tácito ou aberto do governo. A ética do fumo torna-se ainda mais séria ante as alarmantes revelações sobre mortes de câncer e outros riscos à saúde causados pelo fumo indireto ou de segunda mão.

Cremos que a ética da prevenção requer uma interdição uniforme da propaganda do fumo em todos os países, leis mais severas proibindo fumar em lugares públicos, educação pública  mais agressiva e sistemática, e impostos substancialmente mais altos sobre cigarros. Estas medidas salvariam milhões de vidas por ano.


Esta declaração foi aprovada e votada pela Comissão Administrativa da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia (ADCOM) e foi liberada pelo gabinete do presidente Robert S. Folkenberg, na sessão da Associação Geral em Utrecht, Holanda, de 29 de junho a 8 de julho de 1995.