Regras de Interpretação da Bíblia (Guilherme Miller)

REGRA 1. Cada palavra precisa exercer sua devida influência sobre o assunto apresentado na Bíblia. PROVA: Mateus 5:18.

REGRA 2. Toda a Escritura é necessária e pode ser entendida mediante estudo diligente e aplicado. PROVAS: 2 Timóteo 3:15-17.

REGRA 3. Nada do que é revelado na Escritura pode ser e nem será escondido daquele que pede com fé, em nada duvidando. PROVAS: Deuteronômio 29:29; Mateus 10:26, 27; 1 Coríntios 2:10; Filipenses 3:15; Isaías 45:11; Mateus 21:22; João 14:13, 14; João 14:13, 14; Tiago 1:5, 6; 1 João 5:13, 14, 15.

REGRA 4. Para conhecer as doutrinas, ajunte todos os textos acerca do tema que você deseja estudar; então, deixe que cada palavra exerça sua devida influência; e se você puder formar sua teoria sem haver uma contradição, você não pode estar no erro. PROVAS: Isaías 28:7-29; 35:8; Provérbios 19:27; Lucas 24:27, 44, 45; Romanos 16:26; Tiago 5:19; 2 Pedro 1:19, 20.

REGRA 5. A Escritura precisa ser sua própria expositora, sendo essa sua própria regra. Se eu depender de um professor para interpretá-la para mim e ele fizer suposições acerca de seu significado, ou desejar que seja de determinada maneira em função de suas crenças facciosas, ou visando ser considerado sábio, então suas suposições, desejos, crenças ou sabedoria é que são minha regra, e não a Bíblia. PROVAS: Salmos 19:7-11; 119:97-105; Mateus 23:8-10; 1 Coríntios 2:12-16; Ezequiel 34:18-19; Lucas 11:52; Malaquias 2:7-8.

REGRA 6. Deus revelou coisas futuras nas visões em figuras ou parábolas; e desta maneira as mesmas coisas são frequentemente reveladas vez após vez, em visões variadas ou figuras e parábolas variadas. Se você deseja entendê-las, deve combiná-las todas em uma só. PROVAS: Salmos 89:19; Oséias 12:10; Habacuque 2:2; Atos 2:17; 1 Coríntios 10:6; Hebreus 9:9, 24; Salmos 78:2; Mateus 13:13, 34; Gênesis 41:1-32; Daniel 2, 7, 8; Atos 10:9-16.

REGRA 7. Visões sempre são mencionadas como tais. 2 Coríntios 12:1.

REGRA 8. Figuras sempre têm um significado figurado e são muito usadas em profecia para representar coisas, tempos e eventos futuros – tais como montanhas significando governos, Daniel 2:35, 44; bestas significando reinos, Daniel 7:8,17; águas significando povos, Apocalipse 17:1, 15; dia significando ano, etc., Ezequiel 4:6 [ou 4:7].

REGRA 9. Parábolas são usadas como comparações a fim de ilustrar temas, e devem ser explicadas do mesmo modo que as figuras, pelo tema e pela Bíblia. Marcos 4:13.

REGRA 10. Às vezes, figuras possuem dois ou mais significados: “dia”, por exemplo, é usado no sentido figurativo para representar três diferentes períodos de tempo: 1. Indefinido – Ezequiel 7:14. 2. Definido, um dia representando um ano – Ezequiel 4:6 [ou 4:7]. 3. Um dia representando mil anos – 2 Pedro 3:8. A interpretação correta estará em harmonia com a Bíblia e fará sentido; mas tal não ocorre com outras interpretações.

REGRA 11. Se uma palavra faz sentido do jeito que está e não faz violência às simples leis da natureza, deve ser entendida literalmente; caso contrário, figuradamente. Apocalipse 12:1, 2; 17:3-7.

REGRA 12. Para conhecer o significado de uma figura, marque as ocorrências da palavra em sua Bíblia; e, quando você encontrá-la explicada, substitua a palavra pela explicação; se fizer sentido, não há necessidade de continuar procurando; mas se não fizer, procure novamente.

REGRA 13. Para saber se temos o verdadeiro evento histórico para o cumprimento de uma profecia: Se você verificar que cada palavra da profecia (após as figuras serem entendidas) cumpriu-se literalmente, então você pode entender que sua história é o verdadeiro evento. Mas se uma palavra não tiver um cumprimento, então você deve buscar outro evento, ou esperar seu desenvolvimento futuro, pois Deus Se encarrega de que a história e a profecia concordem, de modo que os filhos de Deus que realmente creem jamais sejam envergonhados. PROVAS: Salmos 22:5; Isaías 45:17-19; 1 Pedro 2:6; Apocalipse 17:17; Atos 3:18.

REGRA 14. A regra mais importante de todas é que você precisa ter fé. Uma fé que requeira sacrifício e que, se provada, vai abrir mão do objeto mais precioso da terra, o mundo com todas as suas ambições – caráter, sustento, trabalho, amigos, lar, confortos e honras mundanas. Se qualquer dessas coisas nos impedirem de acreditar em qualquer parte da palavra de Deus, tal fato revelaria que nossa fé é vã. E jamais poderemos crer enquanto um desses motivos estiverem à espreita em nossos corações. Precisamos acreditar que Deus jamais irá negligenciar Sua palavra. E podemos ter certeza de que, Aquele que sente a queda de um pardal, e conta os cabelos de nossa cabeça, protegerá a tradução da Sua própria palavra e construirá uma barreira em volta dela, impedindo de errar e se afastar da verdade aos que sinceramente confiam em Deus e colocam implícita confiança em Sua palavra.