Declaração sobre Alfabetização

A Igreja Adventista do Sétimo Dia valoriza o papel singular que a mulher desempenha no cumprimento da missão da Igreja de propagar o Evangelho.  Parte desta missão envolve a satisfação das necessidades físicas, intelectuais e sociais daqueles que nos rodeiam, como fez Jesus quando viveu  na Terra.

A pesquisa indica que os seis principais desafios da vida de todos os seres humanos, principalmente as mulheres, são: alfabetização, pobreza, abuso, saúde, horas e condições de trabalho e oportunidades de aprender e mentorear.  Para melhor satisfazer estas necessidades, o Departamento do Ministério da Mulher da Igreja Adventista lançou uma importante investigação sobre treinamento em alfabetização para 1995.

A incapacidade de ler exerce impacto sobre todos os aspectos da vida da pessoa – salário, oportunidade de profissão, acesso à informação sobre assistência à saúde, e mesmo a capacidade de educar um filho devidamente. Sem a capacidade de ler, poucas portas de oportunidade poderão ser abertas.

O ensino da leitura cria possibilidades infindáveis para que as pessoas sejam informadas concernentes a tais assuntos como profissões, saúde, paternidade e casamento, e oferece ao professor oportunidades inexcedíveis de atingir vidas através do ministério.

Os adventistas reconhecem um motivo mais vital para partilhar o dom da leitura.  Cremos que a capacidade de ler a Palavra de Deus – as boas-novas da salvação – não deveria ser reservada a alguns privilegiados. Declaramos que todo homem, mulher e criança deve ter acesso às verdades e ao enobrecedor poder da Bíblia.


Esta declaração foi aprovada pela Comissão Administrativa da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia (ADCOM) e foi liberada pelo gabinete do presidente Robert S. Folkenberg, na sessão da Associação Geral em Utrecht, Holanda, de 29 de junho a 8 de julho de 1995.