A Influência da Mulher

Ellen G. White

A influência da mãe nunca cessa. É sempre efetiva, seja para o bem ou para o mal; e se ela quiser que seu trabalho obedeça ao teste do Julgamento, ela deve confiar em Deus, e trabalhar estritamente para Sua glória. O primeiro dever dela é sobre suas crianças, moldar suas características para que se sintam felizes nessa vida, e para garantir o futuro, a vida imortal. Ela não deve ser influenciada pelo que Fulano e Fulana dizem, nem pelas observações da Sra. A ou B, referente a ela ser tão estranha, tão diferente das outras pessoas em seu vestido, ou na decoração da sua casa ser mais confortável do que a fim de mostrar ostentação, ou na conduta de seus filhos.

Deus deu à mãe, a educação de seu filho, como a responsabilidade primordial. A mulher possui esta tarefa individual, que ninguém pode fazer por ela. Se a mãe fizer este trabalho para glorificar a Deus, ela não estará seguindo o costume popular, sendo assim, terá que enfrentar problemas populares.

Apenas algumas mulheres tem a coragem para manter este posto, para combater a batalha contra os costumes e modas que tem arruinado as crianças em sua vida prática. Nós tentamos fervorosamente despertar o poder da moralidade das irmãs e mães especialmente, para que assim se possa ver e combater os males que arruínam nossa juventude.

Desejamos que as mães questionem no temor de Deus, percebendo sua responsabilidade, Que parte temos nesta questão de reforma? Como podemos trabalhar para mudar a ordem das coisas? Os hábitos errados e as modas perniciosas estão deteriorando nossas famílias, física, mentalmente e moralmente. O que as mulheres podem fazer para mudar o propósito e o caráter daqueles com quem nos associamos? O que podemos fazer para manter os males morais que ameaçam arruinar nossos filhos e debilitar a sociedade? Vocês podem, minhas irmãs, chegar à ajuda de Deus, e fazer tudo o que conseguem fazer e fazer bem. Tudo deve ser feito com amor pelas almas, e no temor e amor de Deus. Vocês devem exercer as faculdades que Deus lhes deu. “Ouse fazer certo, ouse ser verdadeira” seja qual for a opinião dos outros. Devemos cada resposta ao nosso Criador para a melhoria ou abuso dos poderes que ele nos deu. Cada um de nós tem uma responsabilidade individual, e devemos estudar o padrão que nos é dado na vida de Cristo, e copiá-lo, independentemente de censura ou aplauso.

Todo não possuem o mesmo trabalho. Existem responsabilidades diferentes a serem realizadas; esses diferentes trabalhos, quando realizados em perfeita forma, podem trazer uma bela harmonia. Nosso Pai Celeste não exige que Lhe seja dado um talento, para melhoras cinco. Mas se um for bem usado, quem o usou ganhará mais, e dessa forma poderá continuar melhorando seu poder de influência fazendo o melhor uso dos talentos que Deus deu. Assim, sua individualidade pode ser preservada, mas ela ainda terá participação no conjunto que trabalha por esta reforma que é grandemente necessária.

Mulher, se ela sabiamente melhorar seu tempo e faculdades, dependendo de Deus para sabedoria e força, pode manter-se em igualdade com o marido como conselheiro, conselheiro, companheiro e colega de trabalho e, no entanto, não perde nenhuma graça feminina ou modéstia. Ela pode elevar seu próprio caráter, e fazendo isso ela eleva e enobrece o caráter da sua família, e exerce uma poderosa – e inconsciente – influência sobre os outros ao seu redor. Por que mulheres não devem cultivar o intelecto? Por que elas não devem responder ao propósito de Deus na sua existência? Por que não devem entender seus próprios poderes, e perceber que esses poderes são dados por Deus, esforçam-se em usá-los muito ao fazer o bem aos outros, no avanço do trabalho de reforma, da verdade e do bem real, no mundo? Satanás sabe que as mulheres têm um poder de influência para o bem ou para o mal; portanto ele procura alistá-las em sua causa. Ele inventa as modas e tenta as mulheres do presente, como ele fez Eva arrancar e comer, para adotar e praticar esses modos que estão sempre em mudança e nunca satisfazem.

Irmãs e mães, nós temos um grande alvo, um trabalho mais nobre do que estudar a última moda para montar um visual de adornos desnecessários para seguir esta massa. Talvez nós nos tornaremos escravas, e colocaremos em um altar a felicidade presente e futura de nossas crianças, talvez até mesmo a nossa. Mas o que ganharemos no final? Nós devemos superar a carne, afastar-nos da corrupção. Nosso trabalho não pode suportar a inspeção de Deus. Nós devemos olhar, porém, todas as almas que poderiam ter sido abençoadas e redimidas da escuridão e da nossa influencia, mas na verdade foram encorajadas pelo orgulho e exibição externa dos adornos interiores.

Nossas palavras, olhares e ações tem uma direta influência sob o caráter de nossas crianças, e sob os outros; por isso devemos sempre manter o domínio próprio perfeitamente.

Tradução por Danillo Rios e Vitória Boita

Edição por Kalline Meira